quinta-feira, 5 de junho de 2008

Jacobsen Vintage Nº1

Tirem as crianças da sala, parem as máquinas, pois por esta nem a mãe Dináh esperava, o oBIERcevando foi convidado e contemplado com exclusividade em ser um dos primeiros no Brasil a degustar e escrever sobre a cerveja mais cobiçada, desejada e também a mais cara do mundo a Jacobsen Vintage N º 1, ela estabeleceu um novo recorde, é a cerveja mais cara do mundo, vendida ao preço de 2008 coroas dinamarquesas, algo em torno de U$ 400,00 chamou a atenção do mundo inteiro, sendo notícia em Jornais, Revistas, Rádio, Internet e TV, foi demasiadamente exposta, sendo que apenas 600 garrafas foram fabricadas, tornou-se cobiçada entre experts internacionais de cerveja, jornalistas, degustadores e curiosos. E se o preço já não foi suficiente para deixar o produto exclusivo, ela só será comercializada dentro da Dinamarca.


Desenvolvida pelo gigante cervejeira dinamarquesa Carlsberg, em uma de suas pequenas cervejarias, a Jacobsen que foi fundada em Maio de 2005 como um “pequeno braço” cervejeiro da Carslberg. A Cervejaria Jacobsen possui três linhas de produção, a primeira para produção das cervejas de linha, que são quatro estilos, a segunda tem produção limitada e serve como base de experimentos para a terceira, e a terceira produz o néctar da Cervejaria, produzindo o que há de melhor para a marca.
Todas as 600 garrafas “verdes”, contém 375 ml. por unidade, são quatro rótulos diferentes, pois cada garrafa tem uma das quatro litografias criadas pelo artista plástico dinamarquês Frans Kannik. Cada uma das imagens gravadas retrata fábulas de SIF, esposa de Thor e também Deusa do trigo, uma Deusa agrária, da fertilidade e da fecundidade, um símbolo de força que era comumente utilizado como exemplo por Jacob Christian Jacobsen , o fundador da cervejaria Carslberg, que foi fundada em 1847, assim foi chamada devido ao nome do seu filho Carl.



O projeto começou como uma idéia “selvagem” e um desejo de criar uma nova cerveja, diferente de todas, trazendo uma nova experiência as pessoas. Durante o processo de preparo a cerveja fermenta em uma temperatura por volta de 25ºC em tanques e depois “envelhece” ou matura durante seis meses em barris de carvalho Sueco ou barris de carvalho francês, isso mesmo, esta nobre edição tem duas versões, uma que matura em barris de carvalho suecos novos e outra que matura em barris franceses já utilizados, alguma dúvida da exclusividade do produto?
Este exemplar que degustamos teve maturação em barril sueco, o pai desta obra prima é Jens Eiken, o Mestre Cervejeiro da Jacobsen.



É um belo exemplar de cerveja para guarda, e durante o envelhecimento deste “vinho de cevada” será percebido notas diferenciadas, mesmo dentro da garrafa consegue-se resultado muito satisfatório, será notado sabores mais desenvolvidos e complexos e aromas equilibrados, o difícil é safra-la, tamanha ansiedade em torno do líquido.
E parece que a cervejaria fará uma trilogia da Jacobsen Vintage Nº1 , será lançada uma versão em 2009 e outra em 2010, pelo potencial deste primeiro exemplar as próximas prometem, é esperar para ver, agradecimentos ao Cláudio Zastrow, o pessoal da Opus e a Cilene Saorin, abaixo impressões deste tesouro cervejeiro.


Cerveja: Jacobsen Vintage Nº1
Apresentação: Garrafa 375ml.
Tipo: Barley Wine
Álcool: 10,5%
Cor: Escura, tons avermelhados, rubi, brilhante.
Espuma: Boa formação, média duração, ficou presa ao copo.
Aroma: Madeira, caramelo, doce, leve álcool, complexo.
Paladar: Encorpada, Vinho do Porto, licorosa, baunilha, frutas escuras (ameixa), notas amadeiradas, leve doce, sensação residual quente, alcoólica, excelente cerveja.
Comentário: Dispensa comentários.


Mais informações: Carlsberg - Jacobsen

6 comentários:

Marco Zimmermann disse...

Realmente, uma bela cerveja!!
Colocamos no nosso blog a foto do momento da degustação!
Abraço!

Edu Passarelli disse...

Caros,

Que pena ter perdido essa. Realmente não pude estar com vcs.
Mas pela descrição, fotos e vídeos(o que é esse Feijão fazendo careta no blog do Bob!!), sei que foi sensacional!!!
E que veham outras!

Grande abraço,

Edu

feijão disse...

Marco,

Dispensa comentários, e todo o contexto do dia foi perfeito, ótimas cervejas degustadas, carnes, presença de outros cervejeiros, trazendo suas "crias", realmente um dia muitíssimo prazeroso.

Eduardo Passarelli

Realmente é uma pena, entretanto a tal "careta" que você descreve na realidade é um pequeno esforço feito, pois a rolha estava bem presa. Foi uma tarde excelente, e com certeza outras ocorrerão. Tinha até me esquecido deste vídeo que o Bob fez, sacanageme sta minha exposição rsrs.

Abraços

El Universo de la Cerveza disse...

Hola Feijao,

Me gusta mucho tu blog y tambien me gusta mucho el portuges, pero no lo entiendo muy bien asi que te hago una sugerencia, entra en este enlace y pon un traductor, asi podriamos leerlo y entenderlo todos.

Saludos cerveceros.

http://translate.google.com/translate_t?hl=es

http:eluniversodelacerveza.blogspot.com

vicente ferrari disse...

Feijão, por esse preço seria possivel comprar 100 garrafas da Schimitt Barley Wine. Para os que não tiveram a oportunidade de prova-la, uma pergunta: vale quantas Schimitt? Abraço!

feijão disse...

Olá

Caro, sobre a "tradução" será analizada e providenciada uma forma de sempre nos entendermos.

Vicente

Olha, sem dúvida consegue-se fazer uma belo estoque de Schmitt Barley Wine, entretanto são bem diferentes uma da outra, claro que há todo um marketing em cima da Jacobsen, mas como o Bob disse: "...apesar do preço “único”, sua qualidade se equipara à de outras produções de alto nível, com valores menores..."

Abraços e obrigado pela visita.