quinta-feira, 10 de julho de 2008

A Dama do Lago

A cervejaria Eisenbahn junto a Revista Beer organizaram o I Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, em novembro de 2007, que elegeu a melhor produção caseira, o ganhador teria direito à produção de 3.000 litros na fábrica da Eisenbahn. E como não é novidade para ninguém, o campeão foi o Leonardo Botto, com sua maravilhosa Belgian Dark Strong Ale, a Dama do Lago, que tem seu lançamento oficial hoje.


E no mês de Maio, Botto veio a fábrica a fim de acompanhar a produção junto ao Sr. Gerhard, mestre cervejeiro da Eisenbahn, em um dia muito intenso, pude ir lá conferir o preparo, um imprevisto aconteceu na filtragem do mosto, era tanto malte que tiveram que fazer um trabalho manual para mexer no bagaço e a filtragem voltar a ocorrer normalmente, um ciclo que demora em média 6 horas para preparo de uma cerveja, para a Dama do Lago foram 10 horas, a cerveja ficou complexa até no preparo, mas o resultado é delicioso.


Uma cerveja de cor hipnotizante, espuma densa, um ótimo drinkability, apesar de sua potência com 9% de álcool, ele não é percebido, seu final seco deixa a boca sedenta por mais um gole, e as notas delicadas frutadas deixaram bem equilibrado este conjunto que é acondicionado em uma garrafa de 375ml. como as de champagne, com rolha, agregando ainda mais charme a cerveja, o detalhe é que a Eisenbahn ainda não definiu se a Dama do Lago ficará em linha, se será sazonal ou se irão fabrica-la novamente e o grande lance é que se tornou limitada, pois só temos 6500 garrafas disponíveis e o depois é um mistério. Enquanto não temos a definição, tive o prazer de degusta-la junto ao Sr. Gerhard e Sr. Jarbas que não escondiam a alegria pelo resultado, abaixo segue impressões:


Cerveja: Eisenbahn – A Dama do Lago
Apresentação: Garrafa 375ml c/ rolha.
Tipo: Belgian Dark Strong Ale
Álcool: 9%
Cor: Rubi, avermelhada, baixa turbidez, brilhante.
Espuma: Boa formação, queda lenta, duradoura.
Aroma: Malte, leve frutado, cravo, notas lúpulo.
Paladar: Bom corpo, malte, notas adocicadas, leve acidez, frutas vermelhas, quente devido ao álcool, sensação residual seca.
Comentário: Excelente cerveja, com ótimo drinkability devido ao ótimo equilíbrio dos ingredientes, a segunda fermentação na garrafa acrescentou muito a cerveja, e com certeza vale a pena arriscar a guarda, apesar de ter bem definido aroma e paladar, parabéns ao Leonardo Botto e a Eisenbahn pela produção, e que seja a primeira de muitas.

4 comentários:

Rodrigo disse...

Olá Feijão,
Estava muito ancioso para comprar algumas garrafas da Dama do Lago. O marketing proporcionado à esta breja pelo concurso mestre cervejeiro e pelo acondicionamento em garrafas com rolhas foi efetivo, criou muitas expectativas.
Não posso entretanto deixar de tecer comentários sobre o valor final de cada garrafa que você está citando.
Não podemos deixar de esquecer que esta é uma cerveja feita em pequena escala, que foram utilizados os melhores ingredientes que podem ser encontrados no mundo, que a equipe que participou da produção é das melhores, mas se for este mesmo o preço... tá caro né!
Até mesmo encontramos cervejas belgas e inglesas por valores como este, mas se consideramos que estas têm o peso de tarifas de importação, e os altíssimos lucros tanto de importadores quanto de casas e lojas que vendem ao consumidor (vide os preços bem mais baixos encontrados na Argentina por cervejas semelhantes como Samuel Smith e Pilsner Urquell)é de se estranhar que uma cervejas feita no Brasil saia da fábrica por preço tão alto.
Bem, minha intenção era fazer um pequeno estoque da Dama do Lago, mas agora vou pensar duas vezes!

Gostaria muito de saber qual é a opnião dos colegas. Infelizmente não tenho Orkut e por isso não participo da comunidade Degustadores de cervejas.

Um abraço.

Rodrigo Campos - Fortaleza-CE

feijão disse...

Caro Rodrigo,

Sinceramente quando fui adquirir meus exemplares, infelizmente fiquei no "meu exemplar", pois não consegui comprar três, quatro como gostaria, acabei por comprar um e tomar outro.

Particularmente sei que o preço da matéria prima "importada" vem maltratando bastante o pequeno produtor, tudo para cerveja ainda é caro no Brasil, a garrafa é cara, a rolha é cara, o serviço feito na vinícola foi pago, o tempo que ficou parada a cerveja até ficar pronta conta e o lucro que a cervejaria precisa ter, todos estes pontos tem que ir no preço, mas sinceramente poderia ter sido um pouco menor o preço final.

Mas não deixe de experimentar, é um acréscimo no conhecimento cervejeiro.

Abraços amigo, e obrigado pela visita.

Anônimo disse...

Caros,

Sobre o preço da garrafa citada e os comentários sobre as cervejas importadas, segue abaixo tópicos que eu posso ajudar a esclarecer:

- Nós no Brasil não produzimos maltes especiais, estes são importados, geralmente da Europa ou EUA (some todas tarifas de importação, custos com transporte, atravessadores, etc).
- Lúpulo, idem ao malte.
- Qualtidade envasada (3.000 Litros em garrafas de 375 mL. Considerando perdas de produção de 5% a 8% devido a complexidade do processo, tem-se a necessidade de produção de 3200 Litros ou mais do líquido para o montante de garrafas) faz aumentar muito os custos.
- Custos com o concurso, viagens, hoteis(todos custos pre operacionais), marketing, garrafa especial, rolha, rótulo em pequena quantidade, etc., aumentam muito o custo e devem estar todos inclusos e divididos em apenas 3.000 garrafas.

Sobre as cervejas belgas, inglesas e a Pilsner Urquell:

- Pilsner Urquell, produzida pela gigante e 2a maior cervejaria do mundo SABMiller na Fabrica original na Rep. Tcheca, mas que a cada batelada na Brassagem (de 2 em 2 horas aprox.), produz cerca de 1.000.000 de Litros de cerveja. Isto sim faz diluir enormemente todos os custos. Imagine produzirmos 1.000.000 de Litros de Dama do Lago a cada 2 horas!
- Belgas e Inglesas que conhecemos aqui no Brasil são na Europa cervejas muito fáceis de encontrar e altamente comerciais. Provavelmente todas as que marcas que estamos pensando no momento são produzidas em grandes volumes e também boa parte delas pertencente a grande grupos muiltinacionais.

Todas as cervejas importadas e que citamos acima (produzidas na Alemanha, Inglaterra, Bélgica, Rep. Tcheca, etc.) estão cituadas realmente no meio de grandes produtores de lúpulo e malte de qualidade. Além de estarem perto dos melhores e mais eficièntes produtores de equipamentos para cervejaria do mundo.

Tenho certeza de que tudo isso tem grande e direta influência no preço de todas estas cervejas (nacionais ou importadas) que citamos.

A Dama do Lago, para mim, é um exemplar de cerveja para comprarmos ao menos 2 exemplares para degustarmos uma e guardarmos outra.

Bom, como eu adoro todas estas cervejas e gosto muito de experimentar novos produtos, let´s have a beer.

Grande Abraço,

Claudio Zastrow.
Mestre Cervejeiro.

Anônimo disse...

CORREÇÃO

Senhores, uma correção: onde escrevi 1.000.000 de Litros considerem 100.000 Litros ou 1.000 hectolitros (hL = medida de volume utilizada em cervejarias de medio e grande porte).

Claudio Zastrow.
Mestre Cervejeiro.