terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Feliz 2009 e Rodenbach Grand Cru

Bem amigos do oBIERcevando, passei por um momento de assumir novos desafios, planejar o ano de 2009 e claro degustar “algumas” cervejas, infelizmente alguma das inúmeras coisas do dia a dia teve que ficar para “depois”, optei pelo blog que ficou parado momentaneamente.
Primeiramente um ótimo 2009 a todos com muito sucesso e alegria, boas cervejas sempre, entretanto o ano para nós cervejeiros já entra com tensão, pois o nosso querido governo está aumentando consideravelmente a cobrança de IPI, PIS. COFINS, isto será abordado mais tarde com um post sobre o assunto e aviso que se não nos unirmos, vai tudo por goela abaixo.

Outra coisa é que em breve teremos uma novidade muito interessante e que agregará ainda mais este mercado cervejeiro que vai ter que continuar crescendo, logo será divulgada a novidade.

Mas vamos ao que interessa, para começar bem o ano, degustei mais um exemplar da Rodenbach, a cervejaria fica localizada em Roeselare, foi aberta em 1821 por Alexander Rodenbach, um homem de classe média que se tornou uma figura importante na Revolução Belga em 1830.
De 1836 a 1864 Regina Wauters, esposa de Pedro Rodenbach dirigiu a cervejaria, depois foi passada a Edward Rodenbach, o seu filho, sob os quais a cervejaria se desenvolveu e expandiu muito bem, acrescentando novo maquinário, novas caves para os tanques de carvalho.
A última pessoa da família Rodenbach a tocar a cervejaria foi Eugène, o filho de Edward. A cervejaria era propriedade familiar até que foi comprada pela Palm Breweries, em 1998.
A Rodenbach sofre fermentação com um misto de Fermento “Ale” e Fermento láctico, este último para dar acidez a cerveja, ele não produz álcool.

Os barris de carvalho desenvolvem papel primordial no processo de maturação. Dentro da cervejaria ainda se produz cada um exatamente como em 1821. Só madeira da melhor qualidade pode ser usada para produzir o barril e não pode pregar ou parafusar, tudo é feito através de encaixe.

Michael Jackson, o BeerHunter, em sua visita a fábrica concedeu a Rodenbach o título de "A cerveja mais refrescante do mundo" título gravado nas dependências da cervejaria.
Esta cerveja da Rodenbach é uma Flanders Red Ale, um estilo muito particular das cervejas belgas. Elas são famosas pelos seu distinto e acentuado paladar “difícil” que possui frutado, amargor, acidez e azedo, sabores que são criados por cepas especiais de levedura. São cervejas complexas e abaixo segue um pouco de minhas impressões.


Cerveja: Rodenbach Grand Cru
Apresentação: Garrafa 330ml.
Tipo: Flanders Red Ale
Álcool: 6%
Cor: Rubi, tons avermelhados, brilhante.
Espuma: Boa formação, queda lenta, duradoura.
Aroma: Fortes características de vinho, Acidez, madeira, Frutado (Maça verde, uva, cereja?).
Paladar: Médio corpo, azeda, ácida, malte, maça verde, leves notas adocicadas no início, muito carbonatada, sensação residual seca, adstringente, porém há uma pitada de doçura no finalzinho que é bastante agradável. Conforme a temperatura aumenta e perde-se gás o azedo diminui e as notas doces se destacam um pouco mais, deixando seu drinkability mais “fácil”.
Comentário: Excelente cerveja, parece que você está tomando um vinho. Sua alta carbonatação poderia ser menor, pois aliada a forte acidez e com as características azedas torna a cerveja um pouco mais difícil, com certeza desagrada a muitos, mas como falar que é ruim? É cerveja, não dá.
Torno a repetir as palavras do saudoso Michael Jackson: “-...procuro as qualidades escondidas em todas as cervejas, se julgasse uma cerveja exclusivamente pelos seus defeitos e impressões ruins nunca tomaria a melhor cerveja, e sim a menos pior...”.
Valeu Michael, e que este seja o dilema de todos os cervejeiros neste ano que começa.

6 comentários:

Felipe disse...

Falaí Feijão!!

Feliz ano novo brother, tudo de melhor pra você e sua familia...

Ahhh, tenho aquele livro pra te emprestar... tu vai ficar de cara com as histórias!!! temos que marcar pra tomar umas e botar o papo em dia!

Abraço,
Felipe Pellegrino

Jean disse...

Prezado Feijão,

Feliz 2009 pra nós todos: muita saúde e... cervejas, é claro!

Um abraço,

Jean Claudi.

Rodrigo Campos disse...

Olá Feijão,

Gostei muito de ver este post pois há tempos tenho vontade de provar cervejas deste estilo pelo seu caráter diferenciado, particularmente a Rodenbach, a Rodenbach Grand Cru e a Alexander.

Nestes últimos dias comecei a escrever um blog cervejeiro, o paraquevocerveja.blogspot.com. Faço um convite à sua presença por lá.

Divulga logo esta novidade!
Um abraço.

Rodrigo Campos
Fortaleza - Ce.

Manzapivo disse...

Como vai Paulo?

O convido visitar meu novo blog cervejeiro em portugues: http://horcerv.blogspot.com/

Lhe agradeço muito qualquier comentário e proposta.

Saudacões cordiais desde Colombia.

http://manzapivo.blogspot.com

Omar Junior disse...

Parabéns pelo blog Paulo! Estou entrando no mundo das cervejas artesanais e seu blog é super completo. Parabéns!

Paulo Feijão disse...

Felipe,

Com certeza em breve estaremos juntos, degustando mais umas cervejas, coisa que quase não gostamos e comentando sobre o livro.

Jean,

Obrigado pela visita, e 2009 vai ser ainda melhor.

Rodrigo Campos,

Com certeza quando degustar este estilo vai gostar e sei que consegues bons exemplares de fora também, em breve terá um na adega. E sobre o blog já visitei e achei muito show, parabéns.

Manzapivo,

Obrigado pela visita, eu estou bem e feliz pela visita "internacional" ao blog, muito interessante seu blog também e com certeza será uma leitura obrigatória.

Omar,

Obrigado pela visita e seja muito bem vindo a este mundo cervejeiro, com certeza fará muitas boas amizades, descobrirá muitas cervejas boas e o que precisar, estamos a disposição.


Abraços a todos os amigos.