quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Intrepidus Nocturnum II

Arrisco dizer que nós apaixonados por cerveja, driblamos todos os obstáculos para conseguir alcançar nossos anseios cervejeiros, desde a busca por um exemplar único ou até mesmo produzir uma cerveja inusitada em casa, já que o hobby no Brasil, cada vez mais dá asas aos cervejeiros caseiros.

Seguindo o preceito de que duas cabeças pensam melhor do que uma, dois dos cervejeiros caseiros mais habilidosos do Brasil juntaram forças, Mauro Nogueira da Confraria do Marques e o Ricardo Rosa resolveram brincar um pouco com as panelas, no início do ano, o Ricardo e o Mauro fizeram a Intrepidus Nocturnum I, uma cerveja escura, com uma quantidade razoável de malte torrado, fermento belga e aproximadamente 11,4% de teor alcoólico.
Com o sucesso da primeira resolveram continuar a série, fazendo a Intrepidus Nocturnum II. Uma cerveja rica em todos os pontos, com alto teor alcoólico, alta complexidade e mais uma vez extrapolando regras, uma verdadeira Extreme Beer.
O nome foi inspirado na Delirium Nocturnum, que tem em seu rótulo um elefante cor de rosa, guardaram daí uma idéia de rótulo. Outro inspiração veio da Intrépida Trupe, um grupo carioca de teatro/dança que se inspira na magia do circo e que leva as pessoas longe com seu espetáculo, esta inspiração que motivou os nobres cavaleiros a fazer cervejas extremas. Surgiu daí um rótulo feito em pouco tempo somando as duas fontes, os elefantes cor de rosa atuando em um picadeiro de circo. E sem mais delongas segue impressões.


Cerveja: Intrepidus Nocturnum II
Apresentação: Long Neck 355ml.
Tipo: Extreme beer
Álcool: 15,4%
Cor: Escura, leve tom avermelhado, brilhante .
Espuma: Baixa formação, entretanto se manteve, duradoura.
Aroma: Malte, caramelo, chocolate, doce, álcool, frutas escuras, complexo.
Paladar: Bem encorpada, agradável doçura, baixa carbonatação, ameixa, caramelo, quente, licorosa, picante, sensação residual quente, alcoólica.
Comentário: Dispensa comentários, complexidade em todos os sentidos, diversos tons aromáticos, no paladar uma explosão de sabores, claro que a parcimônia deve acompanhar a degustação desta cerveja, sem dúvida a lenda de que duas cabeças pensam melhor que uma se fez valer. Parabéns aos caros amigos pela extrema cerveja e que venha mais alguns litros dela.


Mais informações:
Confraria do Marques
Blog da Cervejarte

6 comentários:

Ricardo Rosa disse...

Valeu, Paulo!!!

Que bom que gostou!!!

Aquele abraço!
Ricardo

Paulo Feijão disse...

Olá Ricardo,

Satisfação imensa em te-lo comentando aqui sobre a sua própria cerveja, rs
Realmente me surpreendeu o equilibrio e a comeplexidade de uma cerveja feita em casa, mais uma vez parabéns e que continuem inventando e agregando a cultura cervejeira no Brasil.

Abraços

MAURO NOGUEIRA disse...

Po, Feijao, so hoje vi esse post, lindo demais. E justamente enquanto estou degustando uma IN II que maturou com chocolate cacau 70% da kopenhagen. Imagina como ela fica com chocolate na maturacao...
VaLEU !
Abracao,
Mauro.

Paulo Feijão disse...

Grande Maurinho,

Cara, obrigado por mais uma vez inovarem e trazer a nós, apaixonado pelo nobre líquido, uma 'monstruosidade" desta. Adorei a cerveja. Imagino ela maturando com chocolate, deve ter ficado uma tristeza né rsrsrs.

Obrigado pela visita nobres, e precisando de algo estamos as ordens.

Abraços.

Tatiana disse...

Essa cerveja é uma das melhores do mundo.
Pena só ter tomado goles, devido à muquiranagem dos mestres.

Vida Longa, que seja repetida muitas vezes!

Paulo Feijão disse...

hahahahaha

Oi Tati, olha realmente surprende os sentidos, pena ainda ser produzida em mínima escala, vamos fazer figas para que em breve esta escala aumente e possamos tomar um pouquinha mais rsrs.

Abraços querida e obrigado pela visita.