quarta-feira, 21 de maio de 2008

Rodenbach

A cervejaria fica localizada em Roeselare, foi aberta em 1821 por Alexander Rodenbach, um homem de classe média que se tornou uma figura importante na Revolução de belga em 1830. De 1836 a 1864 Regina Wauters, esposa de Pedro Rodenbach dirigiu a cervejaria, depois foi passada a Edward Rodenbach, o seu filho, sob os quais a cervejaria se desenvolveu e expandiu muito bem, acrescentando novo maquinário, novas caves para os tanques de carvalho. A última pessoa da família Rodenbach a tocar a cervejaria foi Eugène, o filho de Edward. A cervejaria era propriedade familiar até que foi comprada pela Palm Breweries, em 1998.


A Rodenbach sofre fermentação com um misto de Fermento “Ale” e Fermento láctico, este último para dar acidez a cerveja, ele não produz álcool.

Os barris de carvalho desenvolvem papel primordial no processo de maturação. Dentro da cervejaria ainda se produz cada um exatamente como em 1821. Só madeira da melhor qualidade pode ser usada para produzir o barril e não pode pregar ou parafusar, tudo feito é com encaixe.

Michael Jackson, o BeerHunter, em sua visita a fábrica concedeu a Rodenbach o título de "A cerveja mais refrescante do mundo" título gravado nas dependências da cervejaria.
Esta cerveja da Rodenbach é uma mistura de 75% de cerveja “jovem” e 25% de cerveja com maturação de 2 anos em barris de carvalho, mistura interessante e diferente, abaixo impressões.


Cerveja: Rodenbach
Apresentação: Garrafa 250ml.
Tipo: Ale
Álcool: 5,2%
Cor: Avermelhado escuro, brilhante.
Espuma: Boa formação, queda lenta, duradoura.
Aroma: Azedo, leve frutado, madeira .
Paladar: Médio corpo, leve doce, notas azedas, baixo amargor, sensação residual seca, ácida. Comentário: Cerveja centenária, com produção diferenciada, trazendo o talento do mestre cervejeiro à tona, boa cerveja, porém não é para o dia a dia.

2 comentários:

VdeAlmeida disse...

Ora aí está uma daquelas cervejas "difíceis". É mesmo preciso aprender a gostar.
Amigo Feijão, a Rodenbach agora tem uma cerveja, a Vin de Cereale que atinge os 10ª de Abv é está fazendo sucesso. Merecido, porque é uma grande cerveja.
Abração

feijão disse...

Caro Almeida

Sem dúvida, é preciso aprender a gostar indiferente desta ou daquela, não criar falsas expectativas em relação a cerveja achando que tudo é docinho, frutado ou amargo, existe muitos sabores e aromas nas cervejas e quanto mais vai se descobrindo, mais fica "encantando" este maravilhoso mundo cervejeiro.
Obrigado pela visita e abraços brasileiros ao amigo.

Feijão