segunda-feira, 21 de abril de 2008

Moçambique e OPUS XV

Os homebrewers Marco Zimmermann e Murilo Foltran, de Florianópolis, são os donos das produções batizadas de Opus – Cerveja Caseira do Campeche que teve inicio dos seus trabalhos no dia 7 de setembro de 2007, e como eles dizem: “...foi o dia de nossa independência cervejeira...” e desde então muita coisa aconteceu, uma delas foi um honroso segundo lugar no concurso Mestre-cervejeiro da Eisenbahn, com uma Extra Special Bitter ou ESB.

A mais nova empreitada é uma parceria com a micro cervejaria Chopp Ilhéu, também de Florianóplis, para elaborarem uma cerveja, a idéia já existia há muito tempo, e no inicio era utilizar a produção caseira como uma espécie de laboratório, para que no futuro estas pequenas receitas entrassem em linha na micro cervejaria.
Depois de um tempo fermentando a idéia e com as boas produções da Opus a conversa foi mais profissional e no início do ano decidiram começar definindo o estilo e fazendo uma brassagem experimental.
O resultado é Cerveja Moçambique, recebe este nome devido a linda Praia de Moçambique que fica próxima a cervejaria localizada no Rio Vermelho, ela é do estilo Porter com notas interessantes e marcantes, e que só depende das licenças necessárias para ser comercializada em alguns pontos de venda, abaixo impressões:

Cerveja: Moçambique
Apresentação: Long Neck 355ml.
Tipo: Porter
Álcool: 6,5%
Cor: Marrom, leve avermelhado, turva.
Espuma: Boa formação e média duração.
Aroma: Chocolate, leve torrado, notas álcool.
Paladar: Médio corpo, torrado, café, sensação residual seca.
Comentário: Cerveja com bom drinkability.

Além da Moçambique tive acesso a outras produções da Opus, como esta Strong Golden Ale chamada de Opus XV, o nome é devido a décima quinta brassagem feita pelos nobres amigos na produção desta potente cerveja. Abaixo impressões.

Cerveja: Opus XV
Apresentação: Garrafa 500ml.
Tipo: Strong Golden Ale
Álcool: 8,5%
Cor: Alaranjado, leve turbidez, opaca.
Espuma: Boa formação e média duração.
Aroma: Bem esterificada, frutas, doce, álcool.
Paladar: Médio a baixo corpo, maça, médio amargor, álcool, sensação residual quente, leve doçura.
Comentário: Cerveja com poder de álcool, apresenta final quente e sabor adocicado equilibrado com o amargor, uma “bombada” no corpo completaria este belo conjunto.


Mais informações no blog da OPUS.

2 comentários:

Marco Zimmermann disse...

E aí Feijão!
Valeu pelo post!
Um abraço!
Marco

feijão disse...

Marcos,

Eu que agradeço pela atenção, e muito obrigado por produzir e incentivar cada vez mais a cultura cervejeira. Espero em breve estar ai novamente.

Abraços