quinta-feira, 29 de março de 2007

Entrevista com Juliano Mendes

Para começar bem, resolvi montar uma proposta, que em cada lugar visitado, pegar bastante informações, e repassar ao nobres leitores. E na primeira, falei com Juliano Mendes, Sócio Diretor da Cervejaria Sudbrack, que produz a cerveja Eisenbahn, reconhecida em território nacional e internacional, tem feitos ótimos, com indicações de ótimas referências no mundo cervejeiro, e publicações em revistas intenacionais, especializadas em cervejas. Por isso espero que gostem, e que a fonte nunca seque, prosit.




oBIERcevando - Como surgiu a idéia de montar uma cervejaria?

Juliano Mendes - O mercado de cervejas no Brasil passou nos últimos 20 anos por uma transformação. Na guerra das cervejas, as grandes cervejarias compraram as pequenas em busca de maior penetração de mercado. Com isso, marcas tradicionais e regionais de cerveja tiveram suas receitas modificadas, em busca de maior leveza e menos rejeição por parte dos consumidores, principalmente do público jovem. Com isso, as cervejas brasileiras vêm sofrendo uma queda de qualidade e perda de personalidade. A adição de conservantes químicos e cereais não maltados como milho e arroz, para redução de custo, contribuem para isso.
A Eisenbahn nasceu com uma proposta diferente, oposta ao que os grandes vêm fazendo.
Visitamos as melhores cervejarias do mundo, na Alemanha e Bélgica. Trocamos informações com os mestres cervejeiros desses fabricantes. Fomos buscar a melhor matéria prima disponível na Europa e nos Estados Unidos. Trouxemos um mestre cervejeiro alemão com 30 anos de experiência, formado na mais conceituada universidade de cervejeiros do mundo, a Weihenstephan, na Alemanha. E pra completar, seguimos a Reinheitsgebot, Lei Alemã da Pureza, criada em 1516, para limitar em 4 os ingredientes utilizados na produção de cerveja: água, lúpulo, malte (de cevada ou trigo) e fermento. Essa lei, em vigor até hoje na Alemanha, proíbe o uso de qualquer conservante ou cereal não maltado.A Eisenbahn vai sempre oferecer cervejas tradicionais, com receitas centenárias, desenvolvidas para harmonizarem com pratos bem elaborados, contribuindo para uma experiência gastronômica mais rica. São cervejas cheias de sabor, desenvolvidas para um público exigente, que aprecia uma boa gastronomia.
Fundada em 07/2002. Produzimos 12 tipos de cerveja: Pilsen, Kölsch, Natural(Orgânica), Dunkel, Pale Ale, Weizenbier, Weizenbock, Rauchbier, StrongGolden Ale, Weihnachts Ale, Mestre Cervejeiro e Lust.


oBIERcevando - Por que o nome Eisenbahn?

JM - Eisenbahn significa ferrovia. Escolhemos Eisenbahn porque em 1909 existiu uma cervejaria com o mesmo nome e em frente à cervejaria existia antigamente uma estação de trem.


oBIERcevando - Como foi definido os primeiros estilos de cerveja a se fabricar?

JM - Durante nossa pesquisa a cervejarias na Europa, acabamos gostando bastante desses estilos. Além disso, conseguimos diversificar bem:uma clara ( Pilsen ), uma escura ( Dunkel ), uma de trigo ( Weiss ) e uma avermelhada ( Pale Ale ).


oBIERcevando - Qual foi a pior dificuldade no inicio?

JM - Conseguir matéria-prima, acertar a distribuição, convencer donos de restaurantes que valia a pena ter uma cerveja artesanal, local.


oBIERcevando - O que definiu Blumenau, como a cidade para se instalar a cervejaria?

JM - Porque Blumenau é conhecida como a Capital Nacional da Cerveja e por sediar a 2ª maior festa do chopp do mundo. Outra razão também é pelo fato dos sócios morarem em Blumenau.


oBIERcevando - Como o mercado recebe a Cerveja Eisenbahn, é díficl ainda fazer as pessoas engolirem, ou melhor beberem, uma cerveja de valor agregado, que é qualidade, a apresentação, a pequena quantidade produzida, os tipos diferenciados?

JM - O Brasileiro tem pouco conhecimento sobre cerveja. Nem o consumo no Brasil é alto. Perdemos até para a Venezuela. Na República Checa o consumo per capitã é de 160 litros por habitante/ano. No Brasil de 48. A cerveja brasileira é uma das piores do mundo, o brasileiro bebe estupidamente gelada, o que é um erro, não conhece os estilos e variedades e não sabe harmonizar com comida. No Brasil o que importa é a quantidade, e não a qualidade.
O vinho sofria do mesmo problema, mas a situação está mudando. É essa cultura que pretendemos mudar. Muitas pessoas têm recebido muito bem nossa cerveja, mas queremos conquistar muito mais fãs de uma cerveja de verdade. Na verdade, precisamos fazer os consumidores perceberm que há valor por traz de uma cerveja de R$4,00


oBIERcevando - O que mais influencia na hora de definir o próximo estilo de cerveja, o gosto pessoal ou o mercado?

JM - Gosto pessoal e potencial de vendas. Desenvolvidas pelos sócios junto com o mestre cervejeiro

oBIERcevando - Em um mercado cervejeiro internacional, dominado pelas cervejarias européias, como foi colocar o Brasil em referência neste setor, exportandoa Cerveja Eisenbahn? E como foi o 1º contato?

JM - Recebemos um e-mail do importador americano, que é especializado em cervejas Belgas, Alemãs e Inglesas. Ele recebeu boas indicações sobre a Eisenbahn, já que estavam procurando uma cerveja brasileira. Hoje estamos lado a lado nas prateleiras com as melhores cervejas do mundo.


oBIERcevando - E a aceitação do mercado externo como foi?

JM - Tem sido muito boa. Mas precisamos de mais tempo para concluir.


oBIERcevando - Agora se encontra Eisenbahn em quais lugares do mundo?

JM - Em todo o Brasil e Estados Unidos. Pretendemos ampliar para países da América do Sul e Europa.


oBIERcevando - Quando a Eisenbahn vai parar de fazer tipos diferentes de cerveja, qual éo objetivo, o patamar?

JM - Não temos isso bem definido. Sempre que quisermos fazer uma cerveja que gostamos, vamos tentar!


oBIERcevando - Como é ter um negócio, e, ao invés de ter clientes, ter fãs?

JM - É uma ótima pergunta. E é a primeira vez que me fazem. Realmente é muito gratificante e acho que poucas categorias de produtos tem capacidade de fidelizar clientes dessa forma. No entanto, não imáginávamos que cerveja tivesse tamanha capacidade.


oBIERcevando - Quem é um referencial no mundo cervejeiro para você?

JM - Samuel Adams, dos EUA, em primeiro lugar, pois foi quem nos inspirou emprimeiro lugar. A Ayinger, da Alemanha, além da Bosteels, na Bélgica.


oBIERcevando - Qual cerveja você gostaria de estar degustando agora? (Diga uma cerveja pessoal, que você realmente goste, além, claro, da Eisenbahn)

JM - Poderia estar nesse momento degustando uma Schneider Weiss (tenho as cervejas de trigo entre as minhas preferidas), uma Boston Lager, da Samuel Adams, uma Liberty Ale, da Anchor Steam, uma Karmliet, da Bosteels ou uma St. Georgen Bräu Kellerbier.

oBIERcevando - Algumas palavras finais?

JM - Prosit e obrigado pela oportunidade!

7 comentários:

Ricardo disse...

Ótima entrevista, e bela maneira de se começar esse blog.

Desde já vou acompanhá-lo. Sucesso!

Prosit.
Ricardo Antunes da Costa
http://ricardo.antunesdacosta.net

euodeiofanta disse...

Grande Feijão! Parabéns pelo blog...Com cerveja (ops, digo certeza), será leitura diária.
Abraço,

André Planinz

Dana Bier disse...

Feijão

Parabéns. Bom saber que temos mais um blog especializado em cerveja

João - Dana Bier

edu_orkut disse...

Prezado Feijão,
Muito boa essa entrevista. Parabéns e sucesso ao blog.
Abraço
Eduardo Antunes da Costa

feijão disse...

Obrigado a vocês, pela força e incentivo, e com certeza, podem contar comigo, para fortalecer cada vez mais a cultura cervejeira no Brasil.

Armando Fontes : : ) disse...

Parabens pela entrevista!

Estou indo pra SC em Julho e pretendo visitar as cervejarias listadas pelo Blog do Edu Passarelli.
Eisenbahn é local mais do que certo!

: : )

harrry disse...

Dae Feijão

Parabens cara... ta show de bola...
Abração


Harry
Postes Indaial