quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Witbier

Chamada Biere Blanche em francês e Witbier (ou simplesmente Wit) em Flamengo, é uma cerveja dourada pálida, refrescante, com sedimentos e elevada carbonatação. Com malte, malte de trigo e a falta de filtração não é nenhuma surpresa que tenha algumas semelhanças com a alemã HefeWeiss. A maior diferença entre Wit e sua "prima" alemã é a adição de especiarias, principalmente sementes de coentro e cascas de laranja. Em 1800, a cidade de Hoegaarden era uma dos mais importantes centros cervejeiros na Bélgica, com 30 fabricantes produzindo Witbier.

Infelizmente o tempo passava e a tradição em produzir a Witbier diminuia e a última das cervejarias em Hoegaarden que produzia este estilo tinha encerrado a produção a cerca de 10 anos, quando Pierre Celis ressuscitou o estilo em 1966. Ele comprou equipamentos e aplicou seus conhecimentos sobre a produção da Wit, ele havia adquirido conhecimento quando trabalhou em uma cervejaria local, dai Celis fundou a De Kluis cervejaria. Esta reintrodução da witbier foi muito bem aceita, a cerveja Hoegaarden Witbier se espalhou mundo afora. Esta história tem um grande final, após vender a Hoegaarden para um grande indústria cervejeira belga, Pierre Celis mudou-se para Austin no Texas, onde montou outra cervejeria a Celis Brewery, alguns anos depois vendeu para retornar a Bélgica, deixando um grande legado e cervejas excepcionais. Hoje tem 83 anos mora na Bélgica e reinventou a história da Witbier.


Abaixo as impressões sobre a degustação com três cervejas do estilo, a Hoegaarden que hoje é da Inbev e importada para o Brasil pela mesma, a Blanche de Bruxelles e a Whitehead de Porto Alegre no Rio Grande do Sul.





Cerveja: Hoegaarden
Tipo: Witbier
Apresentação: Long Neck 330ml.
Alcool: 4,9%
Cor: Dourada opaca, leve turbidez.
Espuma: Boa formação, duradoura
Aroma: Frutado, condimentado, notas cítricas.
Paladar: Leve acidez, médio corpo, frutas, sensação residual ligeiramente ácida e doce.



Cerveja: Blanche de Bruxelles
Tipo: Witbier
Apresentação: Long Neck 330ml.
Alcool: 4,5%
Cor: Dourada opaca, leve turbidez.
Espuma: Boa formação, duradoura
Aroma: Doce, condimentos, cítrico.
Paladar: Médio a baixo corpo, notas doces, condimentado, toques cítricos, carbonatada.





Cerveja: Whitehead
Tipo: Witbier
Apresentação: Garrafa 600ml.
Alcool: 5%
Cor: Alaranjada, opaca, turva.
Espuma: Boa formação, duradoura
Aroma: Doce, cravo, cítrico.
Paladar: Médio corpo, notas doces, toques cítricos, carbonatada, frutada.


Comentário: Os três exemplos degustados refletem bem as características do estilo, a Hoegaarden se mostrou mais perceptível nos aromas, já a Whitehead mais destacado o paladar, e a Blanche de Bruxelles mais equilibrada e discreta.

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá,

li o artigo e venho dizer que este estil de cerveja não necessariamente precisa levar malte de trigo. Pode-se usar trigo em grão mesmo. Alguns utilizam um pouco de aveia.

Atenciosamente,

Reynaldo

feijão disse...

Olá Reynaldo

Realmente há produções que utilizam o trigo em grão, porém não exclusivamente, até porque utilizando uma quantidade grande ou só ele deixaria a cerveja com forte acidez,e a deixaria bem adstringente. Aveia também é utilizada em pequenas quantidades em algumas receitas.
Mas minha colocação no texto são só algumas características da wit para comparar com a Weiss alemã, confrontando algumas semelhanças.
Obrigado pela ajuda e informação.

Anônimo disse...

Olá Feijão,

contra a adstringência é necessário o uso de trigo de primavera pois este tem menos casca e por isto menos polifenois. Durante a lavagem também trabalha-se com uma temperatura em torno de 75-72°C. Isto não vai acabar com a adstringência mas reduz a patamares confortáveis e até aceitáveis para este tipo de cerveja.

Um abraço,

Reynaldo